10 dicas para um treinamento eficiente

Tempo de leitura: 11 minutos

Você se lembra do melhor treinamento que recebeu? Com certeza você se lembra do conteúdo, do nome (ou pelo menos da cara) do instrutor, das dicas que aprendeu... Com certeza foi um treinamento eficiente!

word-sell-power-point
"E agora vamos para o slide 67, cinquenta maneiras para deixar sua apresentação mais excitante. Número um...". (Fonte: http://loomings-jay.blogspot.com.br/2013_08_01_archive.html)

E você consegue se lembrar do pior treinamento que já recebeu? Talvez você não se lembre do nome do instrutor, mas se lembra do conteúdo, das suas expectativas frustradas, do sono que você sentiu...

Quantas vezes você já não disse ou ouviu a seguinte frase: “O Fulano tem um grande conhecimento, mas é péssimo para transmiti-lo”.

Agora, pense em si mesmo como instrutor. Profissionais de SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde) sempre precisam ministrar treinamentos, palestras, DDS... Você tem a desenvoltura para fornecer um treinamento eficiente?

A seguir nós iremos fornecer 10 dicas para que você realize treinamentos interessantes e eficazes. Com certeza, após a leitura deste artigo, você repensará sua forma de ministrar treinamentos!

1. CONHEÇA SUAS LIMITAÇÕES E SUPERE-AS

Todos sabemos que as pessoas possuem perfis diferentes. Mas parece que algumas pessoas não “nasceram” para ensinar, certo?

Apresentador desesperado
A timidez pode arruinar uma apresentação.

Bom, eu acredito que todos têm a chance de mudar. Eu mesmo fui muito tímido durante minha adolescência e acabei percebendo que isto atrapalhava muito minha vida, em relação a namoradas, amigos, notas escolares, etc.

Então eu decidi trabalhar isto. Comecei a me forçar a falar com pessoas. Analisava o que tinha falado de besteiras, o que as pessoas tinham ouvido com atenção, o que tinham ignorado... E assim fui melhorando minha comunicação.

Também comecei a puxar a responsabilidade de apresentações dos trabalhos escolares. No começo eu tremia muito, suava, gaguejava, mas comecei a descobrir coisas (que serão ditas a seguir) que me ajudaram muito.

Você pode até escolher se isolar, evitar pessoas, evitar multidões. Mas, inevitavelmente, em algum momento você vai ser forçado a alguma situação em que precisará se superar. Pode ser um trabalho de conclusão de curso, uma entrevista de emprego, uma dinâmica de grupo ou outras similares.

Entenda que não precisa ser a pessoa mais extrovertida do mundo. Apenas precisa analisar o quanto sua timidez atrapalha sua vida e o quanto você precisa melhorar isto.

Detalhe: não adianta você tentar logo de início ministrar um treinamento importante para um público gigante porque os resultados tendem a ser catastróficos. O treinamento será ruim e sua confiança cairá mais ainda. Por isso, comece aos poucos! Conheça suas limitações, imponha a si mesmo pequenos desafios (conversar com um desconhecido, entrar em um grupo de teatro, fazer um discurso em uma reunião familiar, etc.) e, passo a passo, vá superando-os.

2. ESTUDE E CONHEÇA O CONTEÚDO

Estude
Treinamento eficiente: mantenha-se atualizado nos conteúdos.

Se você se propôs a falar sobre um assunto, espera-se que, pelo menos, você tenha conhecimento sobre ele. As pessoas que buscam um treinamento ou uma palestra pretendem receber informações importantes sobre aquele tema e, se não obtiverem, ficarão frustradas. Ela precisam de um treinamento eficiente!

Então, estude! Busque o máximo de informações. Quanto mais você souber, mais contribuirá com a construção do conhecimento de seus ouvintes e menor a chance de ser surpreendido com alguma pergunta que não sabe responder.

Além disso, se você tem conhecimento sobre o assunto, isto acaba naturalmente te dando mais segurança para falar sobre ele, o que ajuda no combate ao medo da plateia.

3. NÃO LEIA SLIDES!!!

A não ser que você esteja treinando analfabetos, lembre-se de que sua plateia sabe ler!!! Se você é daqueles que lê slides em voz alta, saiba que é mais fácil imprimi-los e deixar que o público leia em casa.

Há ainda os profissionais que jogam textos imensos nos slides e pedem para que os alunos leiam, para “evitar que a aula fique monótona”. Não se engane! Ela ainda será monótona!

read-slides-to-audience
"E caso vocês estejam se perguntando, SIM, eu planejo ler todos os slides, e NÃO, não tenho nada para acrescentar!" (Fonte: http://www.designerhipster.com/Cartoons/Office)

Os slides têm algumas funções básicas:

- Entreter e conectar o público ao assunto;

- Ilustrar ao público algo que é difícil descrever;

- Orientar o palestrante no desenvolvimento do assunto.

Como dito, você deve conhecer o conteúdo. Se você conhece, basta olhar para as imagens para saber o que você precisa falar.

Certa vez assisti a uma palestra de um médico que utilizava pinturas famosas em seus slides para falar sobre doenças mentais. O modo como ele conduziu o assunto foi memorável. Só de olhar para a pintura ele desenvolvia todo o assunto, interagindo com detalhes dos quadros que facilitavam a compreensão, e ainda demonstrando a cultura por trás das obras de arte.

A dica é dispor os slides de forma que eles “conversem” entre si. De preferência, se você já sabe a disposição, evite olhar para a tela. Utilize aqueles pointers que passam slides, passe-os e continue o desenvolvimento de seu raciocínio sempre olhando para a plateia. Isto mostra sua sintonia com seu material, e transmite confiança a seus espectadores.

4. NÃO TENHA MEDO DE PERGUNTAS

Novamente, conheça seu conteúdo! O palestrante que conhece o assunto não evita perguntas. Ao contrário, ele as estimula.

Eu normalmente divido meus slides em blocos de assuntos. Ao final de cada bloco eu pergunto se alguém tem alguma dúvida. Isto é importante porque você fornece a oportunidade para as pessoas sanarem dúvidas de imediato e discutirem o assunto, o que acaba enriquecendo sua apresentação.

5. POLICIE SEUS VÍCIOS DE LINGUAGEM

tipo assim
Fonte: http://thaisnicoleti.blogfolha.uol.com.br/2013/01/18/tipo-assim/

Tipo, não tem éééééé... nada mais éééééé... chato, né? Do que, tipo, uma pessoa, ééééé... que fica, tipo, com vícios, né? Tipo, de linguagem, né?

Quando você tem um vício de linguagem, as pessoas tendem a prestar atenção nele e perder o foco no assunto. Já me flagrei várias vezes contando e respondendo todos os “né?” que o palestrante falava.

Tive um professor que tinha um vício sutil, mas não menos chato. Tudo o que ele falava era acompanhado de uma pergunta seguida pela resposta.

“A NR-35 fala de quê? Trabalho em altura! E para trabalhar em altura, precisamos de quê? Treinamento! Este treinamento tem que ser realizado por profissional, o quê? Capacitado! E o treinamento tem, o quê? Carga horária mínima de oito, o quê? HORAS!”

É realmente difícil se concentrar no assunto desse jeito. Um treinamento eficiente deve ter foco. Por isso, policie-se!

6. CUIDADO COM SUA POSTURA

avestruz
Pessoas tímidas emitem sinais visíveis

Quando uma pessoa é muito tímida, ao falar em público ela tende a se encolher o máximo possível: as mãos vão para dentro do bolso, o pescoço se enterra, a cabeça se curva para frente, as pernas ficam imóveis e os músculos ficam contraídos. A plateia percebe imediatamente a falta de segurança do orador, que perde a credibilidade.

Por isso, mantenha-se relaxado. Caminhe um pouco para que as pessoas vejam “movimento” e não se entediem (cuidado para não passar na frente dos slides); movimente um pouco os braços (nada de excessos, senão, seus movimentos chamarão mais atenção do que o assunto) e olhe para sua plateia. Nunca dê as costas para eles, a não ser que isto faça parte do conteúdo.

Muita gente fica com o olhar perdido ao encarar a plateia. Tente enxergar seu público como uma mancha. Divida esta mancha em blocos e sempre olhe para o centro de cada bloco. Evite encarar apenas algumas pessoas, pois os outros espectadores percebem isto e acham que você só dá atenção para aquelas pessoas.

Outra dica importante para um treinamento eficiente é organizar os ouvintes. Nem sempre um auditório ou uma sala estão lotados, mas as pessoas acabam sentando longe umas das outras. Antes de iniciar o treinamento, peça gentilmente para que todos se sentem juntos, para que sua comunicação seja mais fácil.

7. CONHEÇA SEU PÚBLICO-ALVO

reunião
Treinamento eficiente: utilize a linguagem adequada para cada tipo de situação.

O tipo de abordagem que você utilizará depende de seu público-alvo. Note que, em nenhum momento eu falo para não se usar gírias ou para evitar palavras difíceis... Tudo depende de seu público.

Nunca me esqueço de uma apresentação de tese de mestrado na qual o rapaz chegou mascando chiclete, pulou por sobre uma mureta que dava para o palco ao invés de usar a portinhola e utilizou uma linguagem extremamente coloquial. Ao final da apresentação, uma das professoras da banca se pronunciou:

“Eu tinha muitos comentários a fazer sobre o assunto, mas o único que vou fazer é que sua postura não é digna de um acadêmico com mestrado”. Eu fiquei com vergonha pelo rapaz.

Quando eu faço apresentações, eu analiso bem meu público-alvo. Caso esteja apresentando para um corpo gerencial, prefiro utilizar uma abordagem mais séria, focando nos resultados apresentados.

Porém, já trabalhei em obras nas quais ministrei treinamentos para a mão de obra direta. E acabei percebendo que um público mais simples prefere uma abordagem mais simples! Então, eu me permitia utilizar gírias, fazer brincadeiras, piadas e chamar pessoas da plateia para me auxiliar em exemplos.

A simpatia é fundamental!

Outra dica que ajuda com os espectadores é conhecer detalhes de suas atividades. Por exemplo, existe um produto químico rosa que impede o metal a ser soldado de ser oxidado. Este produto se chama verniz antioxidante, mas é popularmente conhecido como boca-louca. Assim sendo, nos treinamentos para os funcionários que utilizavam este produto eu nunca me referia a ele pelo nome técnico, mas sempre por boca-louca.

Isto cria uma aproximação entre você e sua plateia!

8. TENHA SEMPRE UM PLANO B

Imprevistos acontecem o tempo todo. E com você não será diferente.

Se sua apresentação está em um pendrive, grave um backup de fácil acesso (hoje em dia é muito fácil armazenar arquivos na “nuvem”); se você precisa de som, leve sempre caixas de som extras; se tem vídeos, leve seu computador ou todos os CODECs necessários para que o vídeo rode sem problemas.

A plateia não está lá para ouvir desculpas. Eles querem um treinamento eficiente!!! Ao invés de “Olha pessoal, eu estava aqui no horário, mas a organização do evento atrasou. Este evento está uma bagunça e blá blá blá...”, fale: “Bom dia, pessoal. Desculpem o atraso. Ele aconteceu devido a um imprevisto, mas vamos começar agora mesmo...”.

Esteja preparado, inclusive, para a falta do recurso audiovisual. Computadores costumam ser “temperamentais” e você deve estar preparado para apresentar sem a ajuda deles.

9. FAÇA-SE OUVIR

O palestrante deve ser ouvido por todos. Antes de iniciar o treinamento, pergunte se o tom que você está utilizando está bom para todos.

Se a plateia for numerosa, use um microfone. Lembre-se da dica 8! Se não houver esta possibilidade, faça um esforço para falar um pouco mais alto.

10. PEÇA E ACEITE SUGESTÕES

Feedback
Treinamento eficiente: aceite sugestões e críticas!

Seja humilde. Ao final da apresentação, peça sugestões de melhoria. De preferência, entregue formulários sem nome para que as pessoas possam avaliá-lo. Este tipo de feedback faz com que você enxergue seus erros e possa melhorá-los! Por melhor que sua apresentação esteja, sempre há algo a melhorar. Esteja aberto a elogios, críticas e sugestões.
E, falando em críticas e sugestões, você tem alguma para este conteúdo? Deixe seu comentário para que nós possamos melhorar cada vez mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *