5 estratégias para divulgar Aspectos e Impactos / Perigos e Riscos

Tempo de leitura: 4 minutos

“A organização deve comunicar seus aspectos ambientais significativos, entre os diferentes níveis e funções da organização, como apropriado.”

ISO 14.001:2015, item 6.1.2

 

Uma ferramenta muito conhecida pelos profissionais de Segurança do Trabalho é a Análise Preliminar de Riscos, ou APR. A ferramenta análoga para a disciplina ambiental é a Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Ambientais (cuja sigla varia de empresa para empresa. Aqui vamos chamar de AIA).

As informações levantadas através destas ferramentas devem ser divulgadas aos funcionários para que tenham ciência da importância da prevenção e dos controles aplicáveis em sua atividade. O fato é que estes documentos, quando aplicados corretamente, se tornam extremamente densos pela grande quantidade de informações.

Então, surge o questionamento: quando apresentamos estes documentos aos funcionários, as informações estão sendo realmente compreendidas, ou são apenas mais um papel que os atrapalha?

Para não correr o risco de a resposta ser a segunda opção, nós vamos abordar 5 estratégias para a divulgação destes documentos aos funcionários para que a assimilação seja mais eficaz.

1 – ENXUGANDO INFORMAÇÕES

A APR e a AIA são documentos essencialmente extensos, pois constituem um levantamento minucioso das atividades e, através das avaliações de significância, permitirão o estabelecimento de medidas de controle. Por isso, o documento inicial deve ser completo e adotado apenas de forma estratégica.

Porém, nem todas as informações constantes nestes documentos são de interesse dos funcionários. Eles precisam saber o que pode dar errado em sua atividade e quais as medidas para evitar isso.

Por isso, sugerimos que sejam previstos dois níveis distintos para estes documentos: um estratégico e um para divulgação.

Quanto mais resumido for o documento de divulgação, maiores as chances de os funcionários assimilarem as informações nele contidas.

2 – FALANDO A LÍNGUA DO PÚBLICO

Como já dissemos em nosso artigo sobre treinamento, o tipo de abordagem que você utilizará depende de seu público-alvo.

10 dicas para um treinamento eficiente

Isto se aplica muito bem na divulgação da APR e da AIA. Muitas vezes utilizamos termos nestes documentos que não são compreendidos pelos outros funcionários. E adotar estes termos durante a divulgação dificulta a compreensão do conteúdo.

Por isso, evite usar um vocabulário rebuscado ou técnico demais.

Alguns exemplos:

3 – FORMATAÇÃO DO DOCUMENTO

Não existe um formato definido para a APR e para a AIA. Existem, sim, modelos usuais que, por conveniência, se tornaram muito populares.

Novamente, é necessário adaptar a linguagem ao público-alvo. Os funcionários são nossos clientes! Devemos prestar um serviço de qualidade a eles.

Para isso, a imaginação é essencial. Evite usar tabelas ou documentos carregados de textos maçantes. A APR e a AIA de divulgação podem, por exemplo, ser ilustradas com imagens da atividade, fotos de atitudes e situações certas e erradas, fotos dos EPIs necessários, fotos dos aspectos ambientais, etc.

4 – PUXANDO PELA MEMÓRIA...

Ninguém conhece melhor os riscos de uma atividade do que o próprio funcionário que a executa. Se o funcionário já possui experiência, com certeza ele já sofreu algum tipo de acidente, ou conhece alguém que tenha sofrido.

Por isso, ao invés de simplesmente ler o documento de forma monótona, incite o funcionário a pensar. Pergunte a ele o que pode dar errado no desenvolvimento de sua atividade. Aproveite as informações que ele fornecer para aprender sobre a atividade. Quando ele responder, aproveite também para perguntar como pode evitar os acidentes. Você irá se surpreender com o conhecimento de certos funcionários.

Os itens que eles não levantarem, você apresenta utilizando os documentos. É uma forma dinâmica e lúdica de conscientizá-los.

5 – FRESQUINHO NA CABEÇA

Não deixe que os funcionários se acomodem. Mantenha sempre a informação atualizada e transmitida. A acomodação leva à automação e a automação leva ao comportamento inseguro.

Portanto, sempre relembre os riscos e impactos que as atividades podem causar para que os funcionários mantenham-se sempre alertas.

E aí? Gostou destas dicas? Se você usa outras estratégias, compartilhe-as conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *