DDS – Muito mais do que um Diálogo de Segurança

Tempo de leitura: 7 minutos

DDSSe você é profissional de Segurança do Trabalho, Meio Ambiente ou Saúde Ocupacional, com certeza já deve ter ouvido falar de Diálogo Diário de Segurança, mais conhecido como DDS.

Porém, o que você talvez não saiba é que o DDS é muito mais do que um mero diálogo, como o próprio nome representa. Quer saber por quê?

Então continue lendo este artigo. Nele, desconstruiremos a sigla “DDS”, mostraremos suas funções e sua importância, e daremos algumas dicas sobre como ministrar um bom DDS, tornando-o eficaz.

Vamos lá!

O DDS MUDOU... PARA MELHOR!

Como já dito, DDS é a sigla para Diálogo Diário de Segurança.

Este diálogo acontece, normalmente, antes do início das atividades, no início do turno de trabalho, entre o profissional de Segurança, Meio ambiente e Saúde e uma equipe de funcionários e tem rápida duração (o tempo pode variar, dependendo de como se desenvolve o DDS, mas, em média, dura 15 minutos).

Originalmente, este diálogo surgiu como uma forma de conscientizar os funcionários com relação à prevenção de acidentes.

Hoje, porém, o DDS pode ser representado por diferentes siglas, dependendo da empresa que o adote: DDSMS (Diálogo Diário de Segurança, Meio Ambiente e Saúde), DDPS (Diálogo Diário de Produtividade com Segurança), e por aí vai.

Isto acontece porque o DDS foi sendo adaptado ao longo dos anos. Atualmente, ele pode ser definido como uma importante ferramenta de gestão, cuja função básica é a conscientização, mas não apenas em Segurança do Trabalho. Ele é utilizado também para conscientização em Meio Ambiente, Saúde Ocupacional e outras disciplinas nas quais a empresa considere que seja importante o engajamento de seus funcionários.

A seguir, vamos apresentar nada mais, nada menos do que 10 funções do DDS:

1 – Conscientização

Esta é a clássica função do DDS. Conscientizar é a forma mais efetiva de fazer com que os funcionários trabalhem de forma correta.

Sine qua non2 – Informação

Não confunda “informar” com “conscientizar”. Informar é transmitir um conhecimento ou uma ideia a uma pessoa ou grupo de pessoas. Conscientizar é tornar uma pessoa ou grupo de pessoas conscientes de algo, de forma que eles adotem aquela informação como prática ou condição sine qua non em seu cotidiano.

Então, o DDS é a oportunidade de informar aos funcionários sobre um assunto, sua fundamentação técnica e legal. Sabendo-se informar de maneira adequada, alcança-se a conscientização!

3 – Comunicação

Comunicação é a transmissão de uma mensagem. Como a equipe está reunida, o DDS é o momento em que o supervisor (encarregado ou qualquer pessoa) pode transmitir um comunicado pertinente sobre o meio de trabalho. Por exemplo, comunicar que o turno foi estendido, que um funcionário entrará de férias, que haverá aumento no vale alimentação, etc.

4 – Discussão

Uma vez que são transmitidas diversas mensagens, nada mais justo do que promover uma discussão (saudável, é claro) sobre os assuntos abordados. Esta é uma excelente oportunidade para conhecer as dúvidas ou opiniões dos funcionários, assim como suas dificuldades e necessidades.

Confiança5 – Interação

Muitas vezes os profissionais de Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Saúde são vistos como “chatos” (aqueles que paralisam atividades, que cobram o uso de EPIs e coleta seletiva, que penalizam os funcionários, etc...). O DDS é a oportunidade para se mostrar como ser humano, que você é um funcionário como qualquer outro, que está apenas fazendo seu trabalho. Esta interação é extremamente importante para ganhar a confiança dos funcionários.

6 – Planejamento da atividade

Como o DDS normalmente acontece antes do início das atividades, é o momento em que o supervisor pode planejar o quê, como e por quem será realizado. É a oportunidade de ver quem faltou, quem está apto a realizar uma atividade, se todas as ferramentas necessárias estão disponíveis, se todos os funcionários estão com os EPIs adequados... E este planejamento pode fazer a diferença no decorrer do trabalho.

7 – União do grupo

Lidar com pessoas é complicado. Muitas vezes em uma equipe pode haver desavenças que porventura possam estar atrapalhando o bom desenvolvimento das atividades do grupo.

O DDS é uma forma de promover a união da equipe. A promoção da discussão que citamos acima acaba fazendo com que os funcionários se unam em suas exposições.

8 – Controlar a assiduidade

Se o DDS é realizado no início do turno de trabalho, na frente de serviço, pode-se verificar quem estava presente no horário previsto. Muitas empresas adotam listas de presença, e acompanham a assiduidade de seus funcionários. É uma forma de “garantir” que o funcionário iniciará suas atividades no horário correto. Além disso, a lista de presença é uma evidência de que o funcionário foi orientado sobre aquele assunto!

9 – Ginástica laboral

Os profissionais de saúde podem incorporar a ginástica laboral ao DDS. É claro que isto acabará aumentando sua duração, mas empresas que possuem um sistema de gestão eficiente consideram este tempo como “investimento”, e não como “perda”.

10 – Oração

Como já abordamos no artigo sobre religião e a segurança do trabalho, o ato de orar já traz grande segurança psicológica a muitas pessoas. A recomendação é que seja feita uma oração conjunta ao fim do DDS. Você irá notar como isto reforça a união dos funcionários e como eles iniciam suas atividades mais confiantes.

 

Entendeu por que o DDS é tão importante e não deve ser negligenciado? Agora, vamos ver algumas dicas para que seu DDS seja eficaz!

 

DICAS

Muitas dicas para ministrar um DDS eficaz você pode encontrar neste artigo (10 dicas para um treinamento eficiente).

Além delas, devemos citar:

- Apresente-se! É péssimo receber orientações/informações de uma pessoa que você não conhece. Sempre inicie o DDS com um "Bom dia, pessoal. Meu nome é Fulano de Tal, e eu sou técnico de enfermagem...".

- Cuidado com temas polêmicos. Gerar discussões polêmicas no DDS pode reverter tudo que há de bom nele, causando desunião, atraso, estresse e consequente risco de acidentes!

- Controle o tempo. Lembre-se de que o DDS é um diálogo, não um treinamento. Organize-se para não atrapalhar o início das atividades.

- Seja objetivo. Como o tempo do DDS é curto, evite aqueles velhos sentimentalismos de “sua família e seu filho estão esperando em casa...” ou “o meio ambiente é um tesouro precioso que deve ser preservado...”. Sem muito blá blá blá, dê seu recado de forma direta e objetiva.

DDS chato

 

- Escolha temas pertinentes. Muitas empresas possuem cartilhas de DDS, onde são sugeridos os temas a serem abordados no dia. Porém, o tema pode não ser adequado para todas as equipes. Por exemplo, em uma empresa que trabalhei, o tema do dia era “trabalho com ferramentas rotativas”, e eu realizei o DDS com uma equipe de montagem de andaimes. É claro que eu ignorei o tema da cartilha e tratei de um assunto relacionado à atividade deles.

Agora que você já aprendeu mais sobre o DDS, acesse o artigo abaixo para conhecer nossas 5 dicas infalíveis para elaborar temas de DDS!

5 dicas DDS
5 dicas infalíveis para elaborar temas de DDS.

Interessante, não? Se você gostou, compartilhe com seus amigos e colegas de trabalho. Para receber as novidades de conteúdo, cadastre-se gratuitamente em nossa lista de e-mails. Fique ligado, e até a próxima!

2 Comentários


  1. Muito bacana as informações, simples claras e fáceis de aplicar
    Muito obrigada me ajudou muito.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *