Dimensionamento do SESMT – 5 Simples Passos Aplicáveis à sua Empresa

Tempo de leitura: 13 minutos

Você já precisou fazer o dimensionamento do SESMT de sua empresa?

Se você é profissional de segurança do trabalho, provavelmente você já deve ter precisado dimensioná-lo. Aqui neste artigo vou te mostrar um passo a passo para se fazer o dimensionamento do SESMT. Acompanhe este artigo até o final.

Não sabe o que é SESMT? Então acesse este artigo, em seguida, retorne para aprender sobre dimensionamento. Clique Aqui.

COMO FAZER O DIMENSIONAMENTO DO SESMT DE MINHA EMPRESA?

Dimensionamento SESMT - CAPA

Dimensionar o SESMT de uma empresa significa definir quais profissionais das 5 categorias abaixo elencadas e em que quantidades comporão o grupo especializado em segurança do trabalho, responsável por promover a segurança e a saúde dos trabalhadores da empresa.

  • Técnico de Segurança do Trabalho
  • Engenheiro de Segurança do Trabalho
  • Auxiliar de Enfermagem do Trabalho
  • Enfermagem do Trabalho
  • Médico do trabalho

Este dimensionamento do SESMT deve ser feito em apenas 05 passos:

Passo 1 - Identificar quantos e quais estabelecimentos há em sua empresa

O dimensionamento do SESMT deve ser feito por estabelecimento de trabalho e a norma regulamentadora n°1 (NR-1), em seu item 1.6.d, define “estabelecimento” da seguinte maneira:

1.6 - Para fins de aplicação das Normas Regulamentadoras - NR, considera-se:

d) estabelecimento, cada uma das unidades da empresa, funcionando em lugares diferentes, tais como: fábrica, refinaria, usina, escritório, loja, oficina, depósito, laboratório.

Desta forma, é necessário que você identifique todos os estabelecimentos onde haja atividades em sua empresa.

Passo 2 - Calcular quantos funcionários trabalham em cada estabelecimento

Identificados os estabelecimentos, o próximo passo é calcular quantos funcionários trabalham em cada estabelecimento.

Passo 3 - Identificar qual a atividade principal desempenhada naquele estabelecimento

É muito comum que em um mesmo estabelecimento existam atividades diversas. É necessário que se defina qual a atividade principal do estabelecimento.

Passo 4 - Deve-se identificar o Grau de Risco da atividade principal do estabelecimento

Para identificar o Grau de Risco da atividade principal do estabelecimento você deve consultar o Quadro I da NR-4 (Acessível neste link) que mostra a Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e seu respectivo Grau de Risco.

A relação está dividida em 20 grupos de diversas atividades econômicas, a saber:

  • Agricultura , Pecuária, Produção Florestal, Pesca e Aquicultura;
  • Indústrias Extrativas;
  • Indústrias de Transformação
  • Eletricidade e Gás
  • Água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação
  • Construção
  • Comércio, Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas
  • Transporte, Armazenagem e Correio
  • Alojamento e Alimentação
  • Informação e Comunicação
  • Atividades Financeiras. de Seguros e Serviços Relacionados;
  • Atividades Imobiliárias
  • Atividades Profissionais, Científicas e Técnicas
  • Atividades Administrativas e Serviços Complementares;
  • Administração Pública. Defesa e Serviço Social
  • Educação
  • Saúde Humana e Serviços Sociais
  • Artes, Cultura, Esportes e Recreação
  • Outras Atividades de Serviços
  • Serviços Domésticos
  • Organismos Internacionais e outras Instituições Extraterritoriais

Você deve reconhecer o grupo no qual a atividade principal de seu estabelecimento melhor se encaixa, e buscá-la dentre as atividades elencadas. Na mesma tabela, na 3a coluna, você terá a indicação do Grau de Risco da atividade, o qual poderá variar entre valores de 1 a 4. O valor 4 indica o maior Grau de Risco.

Passo 5 - Consultar o Quadro II - Dimensionamento do SESMT

Com os dados de Grau de Risco e número de funcionários no estabelecimento, você é capaz de fazer o dimensionamento do SESMT consultando o Quadro II da NR-4.

SESMT - Dimensionamento de SESMT - Quadro II
SESMT - Dimensionamento de SESMT - Quadro II

Diante do passo a passo apresentado acima, você deve ter percebido que, quando se dimensiona o SESMT, não se faz para empresa toda, e sim, para seus estabelecimentos. Desta forma, é importantíssimo que você conheça quais os estabelecimentos que compõem sua empresa, quais as atividades neles desempenhadas e quantos funcionários trabalham em cada um deles.

A partir destas informações você será capaz de dimensionar corretamente o SESMT.

SESMT Dimensionamento Passos

CASOS PARTICULARES DE DIMENSIONAMENTO DO SESMT

Abaixo eu te apresento alguns casos particulares de dimensionamento do SESMT que podem gerar dúvidas. Siga este artigo até o final.

CASO 1) E SE NENHUM DOS MEUS ESTABELECIMENTOS SE ENQUADRAREM NO QUADRO II?

Vamos supor que você tenha seguido o passo a passo acima listado e percebeu que nenhum dos seus estabelecimentos tenha se enquadrado no Quadro II. A princípio poderia se pensar que a empresa não teria que compor SESMT, mas sim, ela terá que compô-lo, só que de forma centralizada.

Este SESMT deverá ser centralizado, dimensionado a partir da quantidade total de empregados de todos os estabelecimentos. O SESMT centralizado deverá atender todos os estabelecimentos localizados no mesmo estado, território ou Distrito Federal, segundo o item 4.2.5 da NR-4, a saber:

4.2.5 Havendo, na mesma empresa, apenas estabelecimentos que, isoladamente, não se enquadrem no Quadro II, anexo, o cumprimento desta NR será feito através de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho centralizados em cada estado, território ou Distrito Federal, desde que o total de empregados dos estabelecimentos no estado, território ou Distrito Federal alcance os limites previstos no Quadro II, anexo, aplicado o disposto no subitem 4.2.2.

Mas, se mesmo somando todos os empregados de todos os estabelecimentos não alcançar os limites previstos no Quadro II, as empresas PODERÃO dar assistência em segurança do trabalho aos seus funcionários através de SESMT comum, organizado pelo sindicato ou associação da categoria econômica correspondente, ou pelas próprias empresas interessadas. Como pode ser visto no item abaixo:

4.14 As empresas cujos estabelecimentos não se enquadrem no Quadro II, anexo a esta NR, poderão dar assistência na área de segurança e medicina do trabalho a seus empregados através de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho comuns, organizados pelo sindicato ou associação da categoria econômica correspondente ou pelas próprias empresas interessadas.

CASO 2) E SE APENAS ALGUNS ESTABELECIMENTOS SE ENQUADRAREM NO QUADRO II E OUTROS NÃO?

Vamos supor que sua empresa seja formada por 5 estabelecimentos ( A, B, C, D, E). Destes estabelecimentos, A e B se enquadram no Quadro II ,mas os estabelecimentos C, D e E não.

Os estabelecimentos C, D e E não podem ser abandonados e precisam de uma assessoria do SESMT. Desta forma, a empresa deve fazer um dimensionamento diferenciado que atenda às peculiaridades dos estabelecimentos C, D e E.

Esse dimensionamento vai depender do Grau de Risco da empresa.

Se o Grau de Risco for 1, deve-se usar a quantidade de funcionários do estabelecimento com maior número de funcionários, e somar este número com a média aritmética da quantidade dos demais estabelecimentos.

Vamos dar valores a cada um deles, para esclarecer a ideia.

Suponha que cada estabelecimento tenha as seguintes quantidades de funcionários:

Empresa A: 100

Empresa B: 120

Empresa C: 110

Empresa D: 70

Empresa E: 510

Deve-se fazer o dimensionamento da seguinte maneira:

n° de funcionários calculado = maior estabelecimento + média aritmética dos demais

SESMT- número de funcionários

Desta forma, o número de funcionários base para se fazer o dimensionamento usando o Quadro II da NR-4 é 610.

Se o Grau de Risco da Empresa é 2, 3 ou 4 o dimensionamento deverá basear-se no somatório de empregados de todos os estabelecimentos. Desta forma, utilizando os dados de quantidade de funcionários apresentados acima, o dimensionamento seria baseado em 910 funcionários:

n° de funcionários calculado = somatório de todos os estabelecimentos

n° de funcionários calculado = 510 +100+120+110+70 = 910

É importante frisar que o SESMT dimensionado deverá dar assessoria a todos os estabelecimentos.

CASO 3) E SE EU QUISER JUNTAR MINHA EMPRESA COM OUTRAS DE MESMA ATIVIDADE ECONÔMICA E FAZER UM ÚNICO SESMT, EU POSSO?

Cooperação empresas 2Sim, desde que obedeça a alguns critérios, tais como:

1 - As empresas se enquadrem no Quadro II de dimensionamento de SESMT;

2 - As empresas devem ser de mesmo município ou município limítrofe;

3 - O SESMT COMUM deve ser organizado pelo Sindicato Patronal correspondente ou pelas próprias empresas interessadas, desde que previsto em Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho.

Cabe destacar que o SESMT COMUM deve ser organizado pelo Sindicato Patronal e não pelo sindicato dos trabalhadores.

Veja o item 4.14.3:

4.14.3 As empresas de mesma atividade econômica, localizadas em um mesmo município, ou em municípios limítrofes, cujos estabelecimentos se enquadrem no Quadro II, podem constituir SESMT comum, organizado pelo sindicato patronal correspondente ou pelas próprias empresas interessadas, desde que previsto em Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho.

A norma, em seus itens 4.14.3.1 a 4.14.3.4,  dar algumas orientações:

  • Permite que o SESMT Comum atenda os estabelecimentos que não se enquadrem no Quadro II (Item 4.14.3.1)
  • O dimensionamento deve levar em consideração o somatório dos trabalhadores assistidos (item 4.14.3.2);
  • O SESMT Comum deve ter seu funcionamento avaliado semestralmente por Comissão composta de representantes das empresas, do sindicato de trabalhadores e da Delegacia Regional do Trabalho, ou na forma e periodicidade previstas na Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho (item 4.14.3.4)

Para ilustrar o caso, imagine a seguinte situação:

Quatro empresas (A, B, C, D) do ramo de Abate de suínos, aves e outros pequenos animais, cujo CNAE é 10.12-1 (Quadro I da NR 4), cada uma com um único estabelecimento localizado no mesmo Município, cuja quantidade de funcionários em cada empresa é respectivamente igual a 150, 300, 75 e 515 funcionários.

De acordo com o Quadro II da norma, as empresas A, B e D devem constituir SESMT, mas a empresa C não, como pode ser visto no quadro abaixo.

SESMT - Dimensionamento de SESMT - Quadro II
SESMT - Dimensionamento de SESMT - Quadro II

Ao invés de cada empresa constituir seu SESMT, elas podem se juntar e definir em Acordo Coletivo de Trabalho a criação de um SESMT Comum organizado pelas próprias empresas, cujo dimensionamento deve ser feito com base no número total de funcionários assistidos.

Esse número total de funcionários assistidos englobam tanto os das empresas enquadradas no Quadro II (empresas A, B e D), quanto o das não enquadradas (empresa C), se desta forma for definida em Acordo Coletivo de Trabalho.

Fazendo assim, o número total de funcionários assistidos é 1040 funcionários ( 150 + 300 + 75 + 515 = 1040), que de acordo com o Quadro II da NR-4 compõem um SESMT Comum com os seguintes profissionais:

  • 4 técnicos de Segurança do Trabalho
  • 1 Engenheiro de Segurança do Trabalho;
  • 1 Auxiliar de Enfermagem do Trabalho
  • 1 Médico do trabalho

O funcionamento do SESMT Comum deve ser avaliado semestralmente por Comissão composta de representantes das empresas, do sindicato de trabalhadores e da Delegacia Regional do Trabalho, ou na forma e periodicidade prevista no Acordo Coletivo de Trabalho.

CASO 4) E SE EU QUISER ME JUNTAR COM OUTRAS EMPRESAS NO MESMO POLO INDUSTRIAL E COMERCIAL, MESMO DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DIFERENTES EU POSSO?

Sim, desde que previsto em Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho.

Nesse caso, como temos empresas de atividades econômicas diferentes, os CNAE são diferentes e o Grau de Risco pode ser diferentes também, o que pode gerar alguma dificuldade no dimensionamento do SESMT.

Contudo, prevendo esta situação, a NR-4 em seu item 4.14.4.1 afirma que o SESMT Comum deve ser dimensionado considerando o somatório dos trabalhadores assistidos e a atividade econômica que empregue o maior número entre os trabalhadores assistidos. (item 4.14.4.1)

4.14.4.1 O dimensionamento do SESMT comum organizado na forma do subitem 4.14.4 deve considerar o somatório dos trabalhadores assistidos e a atividade econômica que empregue o maior número entre os trabalhadores assistidos

A norma também exige que o SESMT comum tenha seu funcionamento avaliado semestralmente por Comissão composta de representantes das empresas, do sindicato de trabalhadores e da Delegacia Regional do Trabalho, ou na forma e periodicidade prevista no Acordo Coletivo de Trabalho (Item 4.14.4.3)

Cooperação empresasPor exemplo:

Imagine que tenhamos 4 empresas (A, B, C e D) com atividades econômicas diferentes e números de funcionários apresentados abaixo:

Empresa A : Fabricação de Produtos de Carne com 150 funcionários;

Empresa B : Fabricação de Conservas de Frutas com 300 funcionários;

Empresa C : Fabricação de artigos para viagem, bolsas e semelhantes de qualquer material com 75 funcionários;

Empresa D : Fabricação de produtos de papel para usos doméstico e higiênico-sanitário com 515 funcionários;

Para se fazer o dimensionamento, precisaremos do número total de funcionários e do grau de risco. Desta forma teremos 1040 funcionários (150 + 300 + 75 + 515 = 1040) e o Grau de Risco devo considerar aquele da atividade econômica que empregue o maior número de funcionários assistidos. Neste caso, teremos que tomar como base a Empresa D (515 funcionários).

Consultando o Quadro I da NR-4 encontramos que a atividade econômica “Fabricação de produtos de papel para usos doméstico e higiênico-sanitário”, cujo CNAE é 17.42-7, possui Grau de Risco igual a 2.

Desta forma nosso dimensionamento do SESMT Comum deve ser feito para empresa de Grau de Risco 2 com 1040 funcionários. Consultando o Quadro II da NR-4, temos um SESMT Comum, formado pelos seguintes profissionais:

  • 1 técnico de Segurança do Trabalho
  • 1 Engenheiro de Segurança do Trabalho em tempo parcial;
  • 1 Auxiliar de Enfermagem do Trabalho
  • 1 Médico do trabalho em tempo parcial.

Entendeu?

Que bom!

CONCLUSÃO - DIMENSIONAMENTO DO SESMT

Após os exemplos apresentados acima, estamos chegando ao final de mais um artigo. Nele você foi capaz de aprender através de casos práticos como deve-se fazer o dimensionamento do SESMT de sua empresa.

A partir de agora você é capaz de analisar a situação de sua empresa e fazer o dimensionamento do SESMT corretamente.

Se você gostou deste artigo e acha que ele te ajudou a vencer suas dificuldades de compreensão ou prática:

  • curta-o e compartilhe com seus amigos;
  • Comente aqui embaixo o que você achou, sua participação é importante para nós;
  • Deixe suas dúvidas para que possa te ajudar.

Espero você no próximo artigo!

Grande Abraço

24 Comentários


  1. Muito obrigado! este artigo foi me muito útil, ajudou me bastante a compreender como fazer um dimensionamento do SESMT, usei parte do vosso artigo para trabalho de pesquisa da disciplina de HST. estou grato pela ajuda.

    Alcides Baulane (Estudante de Curso Eng. Eléctrica, . alcides.baulane@gmail.com)

    Responder

    1. Que bom alcides que pude te ajudar!!! Fico feliz!! Conte conosco para tirar suas dúvidas em Segurança do Trabalho.
      Por sinal, há alguma outra dúvida que você tenha e gostaria de nossa ajuda? Deixe a sugestão aqui nos comentários!! Grande Abraço!!

      Responder

  2. sou téc. Segurança em área de saúde e minha dúvida é como dimensionar o SESMT da Empresa que é dividida em unidades com diferentes números de colaboradores e diferentes CNAEs/graus de risco
    Segue
    OPS com 280 colaboradores e grau de risco 1
    HUC com 130 colaboradores e grau de risco 3
    PAVN/SOS com 131 colabores e grau de risco 3
    AGTimbó com 23 colaboradores e grau de risco 3
    CEPAS com 61 colaboradores e grau de risco 1
    AGVN com 10 colaboradores e grau de risco 3
    Você pode me auxiliar por favor?

    Responder

    1. Olá Andréia,
      Com as informações fornecidas e comparando com o quadro II da NR4, chega-se a conclusão que apenas os estabelecimentos HUC e PAVN/SOS enquadram-se no referido quadro, exigindo, em cada um dos referidos estabelecimentos, apenas 1 Técnico de Segurança do trabalho.

      Sendo assim, você tem 2 estabelecimentos que se enquadram na tabela II e 4 estabelecimentos que não se enquadram. Sua situação é similar ao Caso 2 presente no artigo:http://ambientesst.com.br/dimensionamento-do-sesmt/.

      Considerando sua atividade principal sendo a de maior risco (Grau de Risco 3), você deverá dimensionar o seu SESMT considerando o somatório dos funcionários de todos os estabelecimentos, que é igual a 635.

      Considerando o GR 3 e o n° de funcionários 635, usando a tabela II, sua empresa deverá ter no SESMT 3 Técnicos de Segurança, 1 Engenheiro de Segurança do Trabalho em tempo parcial e 1 médico do trabalho em tempo parcial.

      Esse SESMT deverá dar assistência a todos os estabelecimentos.

      OBS: Estamos considerando que todos os estabelcimentos encontram-se em mesmo Estado.

      Base legal: NR 4, itens 4.2.4 e 4.2.5.2.

      Espero ter ajudado.
      Grande Abraço

      Responder

      1. Nesse caso o SESMT fica centralizado em uma unidade ou fica dividido entre as duas unidades que são enquadradas?

        Responder

        1. Olá Ricardo,
          Segundo o item 4.2.3, a empresa poderá constituir SESMT centralizado desde que as distâncias entre os estabelecimentos sejam inferiores a 5000 metros.

          Caso contrário, a empresa terá que se organizar para atender todos os 6 estabelecimentos.

          Responder

  3. Ola Bom dia,

    Tenho uma pergunta, tenho 4 unidades em uma cidade A e 3 unidades em uma Cidade B

    posso fazer SESMT centralizado somente para a Cidade A? e um centralizado para Cidade B?

    Agradeço desde já a parabéns pelo artigo.

    Responder

    1. Olá Gabriel,
      Se nem os estabelecimentos da cidade A, nem os da cidade B se enquadrarem no Quadro II, a norma sugere ser possível a criação de 2 SESMTs centralizados, uma vez que no seu item 4.2.5, afirma “…cumprimento desta NR será feito através de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho centralizados“. O termo em plural nos faz entender ser possível criar mais de 1 SESMT centralizado para atender um conjunto de estabelecimentos.

      Espero ter ajudado.

      Responder

  4. Bom dia!
    Tenho uma dúvida
    Toda ajuda é bem vinda…
    Uma empresa com 640 funcionários no mesmo CNPJ porém divididos em três projetos diferentes.
    2 projetos ficam a menos de 5km de distância com 140 funcionários e o mesmo grau de risco 3 com as mesmas funções.
    O terceiro projeto está espalhado em 80 pontos distintos e o que possui maior número de funcionários tem 20 colaboradores, com grau de risco 1
    Como proceder com a CIPA, PPRA e PCMSO ?

    Responder

    1. O terceiro é grau de risco 1 e tem entorno de 500 colaboradores espalhados em 80 pontos distintos

      Responder

    2. Oi Nico Motta, sua situação se enquadra no CASO 2 de nosso artigo, já que você tem estabelecimentos que se enquadram ao quadro II da NR4 e outros que não se enquadram. Desta forma, quanto ao sesmt, você deve dimensionar os estabelecimentos que se enquadram ao quadro II, considerando o n° total de empregados e grau de risco 3. Esses SESMTs deverão dar assistência aos demais estabelecimentos, como pode ser entendido dos ítens 4.2.4 e 4.2.5.2 da NR4.

      Quanto à CIPA e PPRA, você deve desenvolver para cada estabelcimento, pois conforme as normas NR 5 e 9 ambos devem ser desenvolvidos por estabelecimento.
      Quanto ao PCMSO, não há referência aos estabelecimentos, desta forma, o programa deve ser único para todos os estabelecimentos da empresa.

      Espero ter ajudado.

      Responder

  5. Boa tarde.
    Ótimo artigo.

    Tenho uma dúvida.

    No caso de a empresa possuir diversos CNPJ, estes são considerados como estabelecimento isoladamente, certo?
    na hipótese de um ou vários ou mesmo todos os CNPJ terem número de empregado inferior ao que determina a norma para o dimensionamento do SESMT, ainda sim, necessário o cálculo, observando-se a forma diferenciada?

    por exemplo-
    empresa XWA
    cnpj xx.xxx.xxx/0001-02- empregados 200- SP
    xx.xxx.xxx/0001-58- empregados 300- SP
    xx.xxx.xxx/0001-96- emprgados 1000- SP
    xx.xxx.xxx/0001-26- empregados -1000- PR
    xx.xxx.xxx/0001-23- empregados 850

    Grupo C- 6

    Agradeço a atenção.

    Letícia

    Responder

    1. Oi Letícia,
      Sim, cada cnpj indica um estabelecimento diferente. Se nenhum dos estabelecimentos tiver número de funcionários conforme quadro 2, trata-se do caso 1 explicado no artigo. Se alguns estabelecimentos se enquadrarem ao quadro 2 e outros não, trata-se do caso 2 presente no artigo.

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida é só perguntar.

      Responder

  6. Boa tarde Danilo, sou Técnico de segurança do trabalho mas sou do ramo Offshore, em minha cidade existem varias empresas pequenas que dependem de empresas especializadas em SESMT, por favor qual seria o primeiro passo para que eu possa montar uma empresa especializada em SESMT? Para atender essas pequenas empresas de no máximo 100 funcionários.
    Já tenho o Engenheiro de Segurança, o Laboratório de analises Clinicas montado e sou Técnico de Segurança.

    Responder

    1. Oi Eliberto, não conheço empresa deste tipo. Talvez fosse interessante você buscar mais informações com as próprias empresas. Mas de qualquer forma, acredito que você prestaria consultoria, para isso, vejo necessário você formar uma equipe de especialistas dos SESMTs proativos e estudiosos, que se interessem em manter-se atualizados com as exigêncas legais, bem como, com as tendências do mercado de tecnologias. Com uma equipe bem preparada vocês saberão planejar as atividades de vocês.
      Na aárea de segurança do trabalho, os profissionais têm que gostar de estudar e se manter atualizados!!
      Grande abraço.

      Responder

  7. Olá, muito bom este exemplo e bem didático, foi o melhor que eu encontrei na web.

    Só gostaria de saber se há alguma jurisprudência, súmula ou nota técnica que embase juridicamente e ou técnicamente este entendimento apresentado, o qual eu compartilho da mesma opinião.

    Responder

    1. Olá Márcio, não conheço. As ideias apresentadas são resultantes da interpretação da norma.

      Responder

  8. olá, gostei muito do artigo, estou usando para dimensionar o SESMT para o curso do SENAI, você teria alguma planilha já montada para que eu possa usar de referencia, estou em duvida quanto a isso..

    Responder

    1. Oi Rodrigo, infelizmente não temos planilhas prontas, pois o dimensionamento depende das características de cada estabelecimento. Mas caso tenha dúvidas no seu dimensionamento, pode nos perguntar. Grande Abraço

      Responder

  9. Sou estudante de engenharia mecânica e estou com algumas dúvidas em um trabalho da faculdade.
    Tenho que dimensionar a nr4 para uma empresa grau de risco 3 e consta com 60 funcionários, no caso não se enquadra no quadro II, pelo que entendi, a empresa deverá contratar empresas especializadas nesse serviço, espero que possa me ajudar

    Responder

    1. Oi juliano, no seu caso não há enquadramento da sua empresa Às exigências do SESMT. Contudo, o item 4.14 possibilita que haja assistência través de SESMT Comum organizados pelo sindicato, categoria econômica ou empresas interessadas.

      4.14 As empresas cujos estabelecimentos não se enquadrem no Quadro II, anexo a esta NR, poderão dar
      assistência na área de segurança e medicina do trabalho a seus empregados através de Serviços Especializados
      em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho comuns, organizados pelo sindicato ou associação da
      categoria econômica correspondente ou pelas próprias empresas interessadas. (Alterado pela Portaria SSMT n.º
      33, de 27 de outubro de 1983)

      Ou seja, você pode sim contratar empresas especializadas neste serviço.
      Espero ter ajudado.

      Grande abraço

      Responder

  10. Prezado, boa noite!
    A dúvida é a seguinte: duas empresas distintas no mesmo local de trabalho, uma com 47 funcionários, com grau de risco 1, a outra com 57 funcionários, de grau de risco 3, como proceder? Deverá somar os funcionários e dimensionar o SESMET? Ou não haverá a necessidade de dimensionamento?

    Responder

    1. Oi PAulo, como são empresa diferentes, elas não possuem obrigatoriedade de dimensionar seu SESMT, mas de acordo com o item 4.14 elas poderão dar assistência através de SESMT Comuns organizados por Sindicato, associação da categoria econômica ou pelas empresas interessadas.

      4.14 As empresas cujos estabelecimentos não se enquadrem no Quadro II, anexo a esta NR, poderão dar
      assistência na área de segurança e medicina do trabalho a seus empregados através de Serviços Especializados
      em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho comuns, organizados pelo sindicato ou associação da
      categoria econômica correspondente ou pelas próprias empresas interessadas. (Alterado pela Portaria SSMT n.º
      33, de 27 de outubro de 1983)

      O Dimensionamento do SESMT Comum vai depender da quantidade TOTAL de funcionários das empresas assistidas por este SESMT.
      Grande abraço

      Espero ter ajudado.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *