Mapa de Riscos – Domine este tema tão importante em SST

Tempo de leitura: 11 minutos

Você sabe o que é o Mapa de Riscos? Qual a sua importância? Você sabe como elaborá-lo?

Se não, acompanhe-me neste artigo, que eu vou te mostrar:

  • O que é Mapa de Riscos;
  • Qual a sua importância;
  • Quem deve elaborar;
  • Como elaborar o Mapa de Riscos em 6 passos;
  • As principais dúvidas na elaboração do mapa de riscos;
  • Características desejadas a quem elabora mapa de riscos;
  • Onde deve ficar o Mapa de Riscos e quando revisá-lo;

Por último, te mostrarei um questionário que servirá de guia para você elaborar seu mapa de risco.

Portanto, se você quer aprender sobre todos esses tópicos, acompanhe-nos até o final.

Mapa de Riscos - O que é?

Mapa de Riscos é um representação gráfica dos riscos existentes no ambiente de trabalho. Trata-se de uma forma visual de mostrar aos trabalhadores e visitantes sobre os riscos ocupacionais existentes no ambiente de trabalho.

Basicamente é um Layout do ambiente de Trabalho onde são identificados os riscos existentes. A diferenciação dos riscos é feita por cores e circunferências de diferentes tamanhos.

Abaixo, seguem exemplos de Mapa de Riscos.

Exemplo 1:

mapa-de-riscos

Exemplo 2:

Exemplo 3:

mapa-de-riscos-modelo-3

Mapa de Riscos - Qual a sua Importância?

A principal importância do mapa de riscos é informar aos trabalhadores e aos visitantes os riscos do ambiente e as formas de controlá-los.  

É dever do empregador informar os riscos do ambiente de trabalho, tanto aos seus funcionários, quanto aos visitantes. Esta informação pode ser feita de várias formas, seja por treinamentos, DDS ( Diálogo Diário de Segurança), diálogo informal, campanhas educativas, Análise Preliminar de Riscos (APR), Ordens de Serviço de Segurança (OSS), entre outras formas. O Mapa de Riscos é apenas uma delas, que utiliza muito do aspecto VISUAL, de forma que seja facilmente assimilada pelas pessoas.

Presume-se que, uma vez consciente dos riscos existentes, funcionários e visitantes tenham condutas seguras que preservem sua integridade física.

Mas sua importância não se resume a informar ao trabalhador. Ele serve também para reunir as informações necessárias para estabelecer o diagnóstico da situação de segurança e saúde do trabalho na empresa, e possibilitar, durante sua elaboração, a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, bem como, estimular sua participação nas atividades de prevenção.

Mapa de Riscos - Quem deve elaborar ?

De acordo com o item 5.16 da NR 5- Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), a elaboração do Mapa de Riscos é atribuição da CIPA, com a participação do maior número de trabalhadores, e assessoria do SESMT.

“5.16 A CIPA terá por atribuição:

a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver;”

Apesar da NR 5 informar que é atribuição da CIPA, a elaboração dos Mapa de Riscos, em última análise, deve-se ao empregador. Isso porque ele será punido por infringir o item 5.16, da NR 5, caso não o tenha elaborado.

Portanto, se você tem uma CIPA pouco atuante, que não elabora o Mapa de Risco, cuidado, pois você estará passível de multa.

Veja Também:

CIPACipa - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

DDSDDS - Muito mais do que um Diálogo de Segurança

Mapa de Riscos - Como elaborar?

Esta é uma pergunta que muitos cipeiros fazem. Vou respondê-la em forma de passo a passo, apresentando os 6 passos para elaboração de um Mapa de Riscos.

Mas antes, quero frisar a importância de um treinamento prévio sobre elaboração de mapa de riscos. Este treinamento deve constar no treinamento da CIPA que acontece antes da posse dos seus membros.

Vamos aos passos:

Passo #1 - Conhecer o processo de trabalho no local analisado:

mapa-de-riscos-ouvindo-funcionarios-01

Neste momento, deve-se ir ao local de trabalho e coletar os seguintes dados:

  • Informações de trabalhadores, tais como número, sexo, idade, treinamentos profissionais e de segurança do trabalho, jornada de trabalho;
  • Instrumentos e materiais de trabalho;
  • Atividades exercidas;
  • Características do ambiente quanto à edificação, iluminação, disposição de materiais, ventilação.

Passo #2 - Identificar os riscos existentes no ambiente de trabalho

Após conhecer o processo de trabalho, devem-se identificar os riscos no ambiente de trabalho utilizando a classificação de riscos presente no Quadro abaixo:

Quadro 1 - Classificação de Riscos
Quadro 1 - Classificação de Riscos

Neste momento é importantíssimo ouvir os trabalhadores da área acerca de situações de riscos de acidentes de trabalho, “o que os incomoda”, “quanto os incomoda” e “ o que poderia ser feito para melhorar”. Nesta etapa, não se deve ter a preocupação de classificar os riscos. O importante é identificá-los e anotá-los. A classificação será feita no passo#6.  

Veja também:

Perigo x risco Risco X Perigo - Há diferença entre eles?

Riscos de AcidentesRiscos de Acidentes - Quais são e como identificá-los?

Levantamento de Perigos e RiscosLevantamento de Perigos e Riscos

Passo #3 - Identificar as medidas preventivas existentes e sua eficácia

Após identificar os riscos, deve-se verificar quais as medidas preventivas existentes na empresa. Elas podem ser:

  • Medidas de Proteção Coletiva;
  • Medidas de Organização do Trabalho;
  • Medidas de Proteção Individual;
  • Medidas de Higiene e conforto: como banheiros, lavatórios, vestiários, armários, bebedouro, refeitório, área de lazer;

Passo #4 - Identificar os indicadores de saúde

Nesta etapa deve-se coletar informações sobre a saúde dos funcionários, tais como:

  • queixas mais frequentes e comuns entre os trabalhadores expostos aos mesmos riscos;
  • acidentes de trabalho ocorridos;
  • doenças profissionais identificadas;
  • causas mais frequentes de ausência ao trabalho.

Passo #5 - Conhecer os levantamentos ambientais já realizados no local

Nesta etapa deve-se verificar os dados das avaliações ambientais realizados no PPRA ( Programa de Prevenção de Riscos Ambientais), tais como, dosagem de ruído, manipulação e dosagem de agentes químicos, presença de agentes biológicos.

Veja também:

PPRA PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Passo #6 - Elaborar o Mapa de Riscos sobre o Layout da empresa, indicando através de círculos:

  • o grupo a que pertence o risco, de acordo com a cor padronizada no quadro abaixo:

mapa-de-riscos-cores

  • Número de trabalhadores expostos ao risco, o qual deve ser anotado dentro do círculo;
  • a especialização ou classificação do agente ( por exemplo: químico- sílica, hexano, ácido clorídrico) que deve ser anotado dentro do círculo;
  • a intensidade do risco de acordo com a percepção dos trabalhadores representada por tamanhos proporcionalmente diferenciados de círculos. Ou seja, Riscos Pequeno, Médio, Grande, representados por círculos proporcionalmente maiores.

mapa-de-riscos-intensidade-do-risco

Talvez você tenha ficado em dúvida como os passos 3 e 4 se encaixam na elaboração do Mapa de Riscos. Se sim, preste atenção no que vou te explicar.

Lembre-se que a importância do Mapa de Riscos não se resume a informar os riscos aos trabalhadores; ele serve também para reunir as informações necessárias para estabelecer o diagnóstico prevencionista na empresa e possibilitar, durante sua elaboração, a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, bem como, estimular sua participação nas atividades de prevenção.

Desta forma, o passo #3 possibilita que o funcionário conheça mais profundamente as medidas de controle existentes, possibilitando avaliar sua eficácia e sugerir melhorias, além de identificar áreas que não possuem medidas de controle onde deveriam existir.

O mesmo acontece com o passo #4. Ao coletar  os funcionários estão conhecendo a fundo a realidade da sua empresa, inclusive podendo detectar riscos causadores de doenças ou acidentes que antes não haviam sido percebidos.

As etapas de elaboração de mapa de riscos podem ser visualizadas no Anexo IV da Portaria n° 25 de 29 de dezembro de 1994. Para consultar essa portaria, Clique Aqui!

Mapa de Riscos - Principais Dúvidas na Elaboração do Mapa de Riscos

Durante a elaboração do Mapa de Riscos é comum surgirem as seguintes dúvidas:

  • Preciso ter a planta-baixa do local de trabalho?

Se tiver a planta, ótimo! Mas sua ausência não pode ser fator impeditivo, pode-se fazer apenas um croqui do ambiente de trabalho.

  • Como representar quando tenho vários tipos de riscos no mesmo ponto?

Por exemplo: um trabalhador realiza, em bancada, corte de chapas metálicas utilizando máquina de corte. Há nesta mesmo ponto risco de acidentes, ergonômicos e físico. Como representá-lo no mapa de riscos?

Nestes casos, recomenda-se representar com um “gráfico pizza”: um círculo, dividido no número de partes equivalente ao riscos identificados, cada qual com sua coloração e especificações dos riscos.

mapa-de-riscos-difusos-2

  • Em um mesmo ponto há intensidade de riscos diferentes: que tamanho de círculo representar?

Neste caso, para que o Mapa de Risco não fique poluído com muita informação, pode-se considerar para todos os riscos a maior intensidade percebida. Por exemplo: vamos supor que você tenha identificado um leve risco ergonômico e um médio risco físico; para representá-lo você pode colocar um círculo único de tamanho médio ( pior situação), dividido em 2 partes, uma parte na cor amarela (risco ergonômico) e a outra parte na cor verde (risco físico).

Não há problema, em considerar maior risco, pois essa é a situação mais benéfica ao trabalhador, uma vez que ele está sendo informado que há um elevado risco na área, e com isso, precisa se comportar de forma segura, respeitando as medidas preventivas.

  • Como representar os riscos existentes em todo o ambiente de trabalho?

Quando identificar um risco existente em todo o ambiente de trabalho, você deve representá-lo no centro do Layout com setas saindo do círculo em várias direções, indicando que ele se espalha em todo ambiente de trabalho, como mostrado na figura abaixo:

mapa-de-riscos-difuso

Veja o exemplo do Ruído. Ruído se propaga em todo o ambiente de trabalho, portanto, ele estará presente para todos os trabalhadores do setor, independentemente se é feita atividade de bancada sem utilização de equipamentos geradores de ruído.

Mapa de Riscos - Características de quem elabora o Mapa de Riscos

Algumas características são importantes para a equipe que irá elaborar o mapa de riscos. Trabalhar estas características permitirá que o Mapa de Risco seja elaborado de forma mais rápida, correta e completa. São características como:

observação;  - percepção;  - criatividade;  - visão global;  - objetividade, poder de síntese;  - capacidade de comunicação;  - educação / discrição;  - bom senso; - capacidade de organização; - receptividade à segurança;  - persistência / agente de mudança;  - simpatia.

Mapa de Riscos - Localização e Revisões

O Mapa de Riscos deve ficar localizado em locais de fácil visualização, visível a todos os funcionários do setor.

Ele deve ser revisado sempre que haja alterações no ambiente de trabalho que originem novos riscos aos funcionários.

mapa-de-riscos-carpintaria-01

Mapa de Riscos - Guia para auxiliar na elaboração do Mapa de Riscos

Para facilitar na elaboração do Mapa de Riscos, a equipe pode utilizar de um questionário guia que o auxiliará na elaboração de Mapa de Riscos de forma mais rápida e eficaz. Clique na figura abaixo e tenha acesso a este guia totalmente gratuito. 

guia-pratico-para-elaboracao-de-mapas-de-risco-capaGuia para elaboração de Mapa de Riscos ( Clique Aqui)

Chegamos ao final de mais um artigo sobre Segurança do Trabalho. Se você gostou, curta clicando no botão logo aqui embaixo, compartilhe com seus colegas, e deixe seus comentários. Sua participação é extremamente importante para nós.

Grande Abraço e até o próximo artigo.

9 Comentários


  1. Muito legal os trabalhos apresentados no site. Linguagem simples, direta e sem mistérios…

    Parabéns.

    Ten QEO-R Grossi – Corpo de Bombeiros de SP

    Responder

    1. Obrigado, Gliceu!! Fico feliz com seu comentário!! Isso nos motiva a melhorar cada vez mais nosso trabalho!! Grande Abraço!

      Responder

    1. Que bom, Rômulo!! Continue nos acompanhando e divulgue entre seus amigos de profissões. Grande Abraço

      Responder

  2. Estou me formação em Técnico em Segurança do Trabalho, e me foi muito útil o texto

    Responder

    1. Que bom, Uelinton!! Ficamos felizes!! Continue nos acompanhando!!

      Responder

    2. Que bom, Uelinton!! Ficamos felizes!! Continue nos acompanhando!!

      Responder

  3. olá pessoal, peço a ajuda de todos vocês do blog para me auxiliar na seguinte questão: dica de alguma publicação falando positivamente sobro mapa de riscos, pois li um artigo do tecnologista João Cândido de Oliveira criticando essa ferramenta, e gostaria de refutar esse trabalho. se alguém conhecer algum favor indicar.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *