Estratégias para definição de Objetivos e Metas

Tempo de leitura: 9 minutos

Adeus ano velho! Feliz ano novo! Que tudo se realize no ano que vai nascer!!!!!

Você estabeleceu suas resoluções de ano novo? E as resoluções do ano passado foram atingidas?

E a sua empresa? Também definiu suas resoluções? Conseguiu atingir as metas estabelecidas no ano passado?

Em artigos anteriores nós tratamos de diferentes etapas da fase de planejamento segundo a ISO 14001:

- A identificação e avaliação de aspectos e impactos ambientais;

Aspectos e Impactos ambientais – Identificação e avaliação

- O gerenciamento de requisitos legais.

Gerenciamento de requisitos legais

Neste artigo nós falaremos sobre etapa de definição de objetivos e metas dentro do sistema de gestão*, pontuando alguns fatores importantes neste decisivo processo para a empresa.

* Apesar das normas ISO 9001:2015 e a ISO 14001:2015 tratarem este tópico como “Objetivos e planejamento para alcançá-los” e enquadrarem o termo “meta” no conceito de “objetivo”, por praticidade manteremos esta distinção.

 

DIFERENÇA ENTRE OBJETIVOS E METAS

Eu gosto de usar as “resoluções de ano novo” para exemplificar a definição de objetivos e metas. Quando uma pessoa faz suas resoluções para o ano que se inicia, ela estabelece seus objetivos. Por exemplo:

Ou seja, ela define algo que ela quer alcançar ao fim de um determinado tempo. Este é seu objetivo.

OBJETIVO: um resultado a ser alcançado (ISO 14001:2015)

Porém, para alcançar este objetivo, é preciso se esforçar de alguma maneira, e realizar ações que contribuam para o sucesso de sua resolução ao final do ano. Não pensar na forma como alcançar um objetivo é fadá-lo ao fracasso.

Então, se o objetivo é emagrecer, não se pode comer hambúrguer e chocolate todos os dias. Além disso, apenas abdicar deste tipo de comida trará o resultado esperado? Ou serão necessárias outras medidas?

Vamos analisar o exemplo acima:

Veja que é muito mais fácil alcançar um objetivo quando se sabe quais os passos a seguir para que se tenha sucesso. Estes passos são as suas metas!

META: Requisito de desempenho detalhado, resultante dos objetivos e que necessita ser estabelecido e atendido para que tais objetivos sejam atendidos (adaptado da ISO 14001:2004)

PARA QUE ESTABELECER OBJETIVOS E METAS NO SGI?

O estabelecimento de objetivos e metas permite que o sistema de gestão da empresa evolua. Não existe sistema de gestão tão perfeito que não precise melhorar. Lembre-se que uma das premissas das normas é a melhoria contínua.

A análise dos dados de gestão em um período definido nos mostra os pontos fortes e as oportunidades de melhoria do sistema. A própria análise dos objetivos e metas alcançados em um determinado período permite que a empresa avalie o que foi bem sucedido e o que pode ser melhorado para o alcance de um resultado pretendido.

Além disso, os objetivos e metas servem como orientação para o desenvolvimento dos trabalhos. Eles estimulam a equipe de gestão a se empenhar para alcançar resultados positivos.

ESTABELECENDO OBJETIVOS E METAS NO SGI

Vamos analisar alguns pontos importantes no estabelecimento de objetivos e metas:

FUNDAMENTAÇÃO

O estabelecimento de objetivos e metas deve ser bem fundamentado. Se você acabou de entrar em uma empresa, não adianta jogar um monte de objetivos baseados no que você já leu, ou em outros locais que trabalhou. Cada empresa tem suas particularidades, e é necessário tempo e análise para conhecê-las.

Colete dados, avalie-os e discuta antes de qualquer definição.

PARTICIPAÇÃO DA LIDERANÇA

Manda quem pode; obedece quem tem juízo!

Em uma empresa não se decide nada sem passar pela liderança. Por isso, é imprescindível que a definição de objetivos e metas seja realizada com a participação dos líderes. São eles que vão decidir o que é realmente importante, o que é prioridade, o que não é possível de se alcançar...

O papel da equipe de gestão é apoiar a liderança na tomada das decisões. Apresentar os dados de gestão, apresentá-los e sugerir objetivos e metas que seriam importantes para a melhoria do sistema. Mas quem vai “bater o martelo” é a liderança.

ATENDIMENTO DE REQUISITOS OBRIGATÓRIOS

As normas enxergam a definição de objetivos e metas como uma ferramenta de melhoria do sistema de gestão. Isto quer dizer que requisitos obrigatórios não devem ser incluídos como objetivos, justamente por serem obrigatórios.

Se um auditor verifica que uma empresa possui como objetivo “Atender à lei n° X”, ele entende este objetivo como inválido e ainda indica a não conformidade do atendimento ao requisito legal.

Agora pense no seguinte cenário: você acaba de assumir um cargo em uma empresa totalmente irregular. Não há sistema de gestão implantado, licenças, alvarás e multas são constantes...

Neste caso, como forma de controle, você pode definir objetivos e metas no sentido de regularização. Isto é importante para demonstrar aos líderes a importância do atendimento a estes requisitos e será importante como evidência interna de que seu trabalho está sendo direcionado para a adequação dos problemas da empresa. O seu planejamento pode ser apresentado como uma das ações que solucionaram estes problemas, fazendo com que você ganhe a confiança da alta administração.

ESPECIFICIDADE

É interessante estabelecer objetivos e metas que evidenciem a importância das ações de gestão para o sistema.

Por exemplo: uma empresa estabelece o objetivo de “reduzir o consumo de matérias primas”. Normalmente entende-se isto como algo positivo. Mas imagine que houve algum problema que resultou num corte de gastos ou numa diminuição drástica na produção da empresa. Estes fatores fatalmente provocariam a diminuição no consumo das matérias primas, mas não da maneira esperada, com ações de gestão.

Portanto, não caia neste tipo de armadilha. No caso acima, pode-se estabelecer o objetivo de “reduzir o consumo de matérias primas por unidade produzida”.

É muito gratificante ver que o sistema está evoluindo devido a trabalhos bem feitos, e não por acaso.

DESAFIOS POSSÍVEIS

Os objetivos e metas devem refletir desafios para a equipe de gestão.

Se um objetivo pode ser alcançado em uma semana de trabalho, talvez seja interessante revê-lo. Estabelecer objetivos e metas de curto prazo ou fáceis demais para serem alcançados pode fazer com que a equipe entre num modo “tartaruga” e se acomode. Fingir que um resultado positivo é fruto de um trabalho árduo não contribui em nada para seu sistema.

Da mesma maneira, não se deve estabelecer objetivos visivelmente impossíveis de serem atingidos. Isto vai estressar e frustrar a equipe, que canalizará esforços para algo que nunca será realmente realizado.

ESTABELECER PRIORIDADES E PRAZOS

É claro que nem todos os objetivos e metas têm o mesmo peso que outros. A alta liderança deve estabelecer quais objetivos são prioritários, segundo os critérios específicos de cada empresa.

Por exemplo, dentre os objetivos “Diminuir as reclamações dos clientes em 20%” e “Aumentar os índices de reciclagem”, o primeiro parece ser prioritário, pois trata da satisfação do cliente (parte interessada) e, consequentemente, do sucesso do negócio. O segundo seria uma ação de melhoria de desempenho ambiental, que não tem influência tão direta no negócio da empresa.

Também é importante estabelecer prazos razoáveis. Os prazos também devem ser estabelecidos pela liderança, uma vez que eles conhecem a realidade administrativa da empresa.

Delimitar áreas de risco em um galpão pode ser simples em um primeiro momento. Mas, como depende de recursos humanos (técnicos e engenheiros) e financeiros (para aquisição de sinalizações, isolamentos e bloqueios), apenas a liderança pode dizer em quanto tempo estes recursos estarão disponíveis para o desenvolvimento do trabalho.

FUJA DO COMUM

Quando analisamos os objetivos e metas de diversas empresas, nós encontramos diversos lugares-comuns, como:

- Reduzir o consumo de água;

- Diminuir o número de acidentes;

- Diminuir o número de falhas.

Pensando de maneira geral, estes objetivos são básicos, mas importantes. Porém, muitas vezes as equipes de gestão estão tão acostumadas a utilizá-los que acabam se esquecendo (ou mesmo evitando) os desafios maiores.

Por exemplo, imagine que foram identificados 300 aspectos ambientais.

Uma análise destes aspectos resultou no seguinte gráfico:

Normalmente aplicam-se medidas de controle para os aspectos significativos, o que não deixa de ser correto. Mas a simples identificação e controle dos aspectos ambientais pode ser extrapolada no SGI.

A empresa pode definir como objetivo, por exemplo, eliminar 20% de seus aspectos significativos médios; ou então reduzir a significância de 10% de seus aspectos críticos.

Veja que estes objetivos não são impossíveis de serem atingidos, mas são desafiadores. Eles apenas exigem um trabalho de gestão mais complexo, que interfira nos processos no sentido de melhorá-los.

ANALISE OS RESULTADOS

Periodicamente, atualize o status dos objetivos e metas. O acompanhamento permite que sejam verificados objetivos ou metas concluídos, atrasados, em dia... Ao final dos prazos estabelecidos, analise o que foi bem e o que foi mal sucedido.

Esta análise deve ser realizada com a Alta liderança, de maneira crítica, para verificar os pontos fortes e o que precisa ser melhorado no SGI para que um objetivo fracassado seja alcançado em um segundo momento.

Seguindo estes passos você pode ter resultados excelentes na melhoria do seu sistema de gestão.

E você? Tem alguma dica para esta etapa de planejamento? Compartilhe conosco!

2 Comentários


  1. Parabéns! Texto muito bem explicado e didático
    Obrigada pelas informações

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *