Sistema de Gestão – 5 motivos para ser (ou não ser) certificado

Tempo de leitura: 4 minutos

Ser ou não ser, essa é a questão: será mais nobre suportar na mente as flechadas da trágica fortuna, ou tomar armas contra um mar de obstáculos e, enfrentando-os, vencer?

Hamlet

 

Toda empresa possui obrigações legais a serem cumpridas e, muitas delas, buscam implantar um sistema para sua gestão. Seguir uma norma, como a ISO 9.001 ou a ISO 14.001, é um excelente caminho para isto.

Sistema de gestão - Introdução

Mas surge uma questão: se eu quero implantar um sistema de gestão, eu preciso da certificação?

A resposta é: depende da empresa. Vamos ver alguns motivos para se certificar e, em seguida, mostraremos que a certificação não é essencial!

MOTIVO 1 – EXIGÊNCIA DE PARTES INTERESSADAS

Muitas vezes a empresa precisa se certificar pois algumas partes interessadas assim o exigem. Por exemplo, para obter alguns tipos de financiamento pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), é necessário possuir a certificação ISO 9.001. A concessão do benefício é dependente da certificação.

Há também algumas empresas certificadas que só contratam serviços de empresas certificadas, por questões de garantia de conformidade. Neste sentido, a certificação amplia oportunidades de negócios.

MOTIVO 2 – DEMONSTRAÇÃO DE COMPROMETIMENTO

Para algumas empresas, a demonstração do comprometimento com uma causa se torna uma grande propaganda.

Você com certeza já deve ter visto vários produtos estampando o “selo” de qualidade da ISO 9.001, certo? E isto acaba levando o consumidor a naturalmente confiar mais nestes produtos.

Da mesma forma, algumas empresas associam sua imagem à proteção ambiental, o que conquista muitos consumidores.

Este fator é algo tão expressivo que alguns órgãos ambientais que possuem poucos fiscais acabam direcionando sua fiscalização para empresas não certificadas, uma vez que as certificadas normalmente extrapolam o atendimento aos requisitos.

MOTIVO 3 – DESAFIO E MOTIVAÇÃO

Muitos gestores incentivam seus funcionários a se dedicarem através da obtenção e da manutenção de uma certificação. É gratificante fazer parte de um sistema que funciona de maneira eficaz.

A certificação é um objetivo a ser alcançado e isto acaba sendo um fator que impulsiona os trabalhos. Quanto mais sincronizados os setores da empresa, maiores as chances de obtenção da certificação. Os resultados são consequência dos esforços conjuntos e, quando os funcionários enxergam estes resultados e percebem que são essenciais no processo, motivam-se cada vez mais.

MOTIVO 4 – COMPROMETIMENTO

Ao contrário do que muitos pensam, existem diversas empresas realmente preocupadas com Qualidade, Segurança e Meio Ambiente (dentro do contexto sustentável). Estas empresas percebem que os recursos aplicados nestas disciplinas são um investimento que melhora a empresa como um todo, incluindo economicamente.

MOTIVO 5 – MELHORIA DO SISTEMA

O hábito, esse demônio que devora todos os sentimentos.

Hamlet

 

Uma das bases do sistema de gestão é a melhoria contínua. Manter uma certificação com um sistema estagnado é praticamente impossível, pois os auditores consideram todo o histórico de auditorias para analisar se o sistema está realmente “vivo”.

Assim sendo, a certificação é uma forma de manter o sistema de gestão em constante evolução.

 

MAS, PRECISA MESMO?

É importante saber que o processo de certificação não é barato. Envolve diversos custos com o órgão certificador, custos internos, tempo despendido para auditorias internas e externas, diversos funcionários direcionados a isto...

A alta direção da empresa deve definir se a certificação é realmente uma prioridade e, principalmente, se não vai impactar de forma adversa sua economia.

Além disso, seguir uma norma ou possuir certificação não é garantia de conformidade!

Algumas empresas mascaram dados, forjam evidências, criam histórias, simplesmente para alcançar falsos resultados, o que faz com que o certificado seja apenas mais um papel sem valor pendurado na parede. O certificado deve refletir os resultados de esforços de trabalho.

Por isso, se a empresa não se enquadra em um dos 5 motivos acima, a certificação não é exatamente necessária.

A norma é uma ferramenta norteadora. Não é uma lei; não é uma regra. Ela mostra o caminho de como fazer o certo, mas a empresa deve realmente estar disposta a fazê-lo.

Entenda da seguinte maneira: a norma é importante como orientação. Aplicando seus conceitos, sua organização e sua metodologia, a empresa consegue alcançar excelentes resultados de gestão. Se isto basta para a empresa, não há necessidade de certificação. Ela pode ser o que chamamos de certificável, ou seja, possui um sistema de gestão integrado eficaz digno de certificação, mas opta por não se certificar.

Perceba que, se seguirmos esta linha de raciocínio, uma empresa que não busca uma certificação pode perfeitamente seguir as normas obsoletas, como a ISO 14.001:2004. O conceito normativo é eficaz se aplicado corretamente.

Uma certificação sem valor é como uma pedra embrulhada em um papel de presente.

Acima de tudo sê fiel a ti mesmo,
Disso se segue, como a noite ao dia,
Que não podes ser falso com ninguém.

Hamlet

E aí? Você concorda com este raciocínio? Comente abaixo!

Leia também:

Sistema de gestão – Política Ambiental, de Qualidade, e de SST

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *